Os Primeiros dias com o Recém Nascido

by - 04 março



Sim! A foto deste post vai ser de sutiã e descabelada, pois este é o traje oficial das mães recém-nascidas!!!

Como já disse no post sobre o nascimento, o meu maior medo era de como seria minha vida após do nascimento do Ian.
Tudo o que eu ouvia e lia não me trazia tranquilidade e confiança. Eu ouvia apenas como a rotina seria pesada, sobre a privação de sono, as temíveis cólicas e choros, muito choros.
Hoje sei que não ouvi de ninguém um conselho que fosse realmente útil, porque ele não existe!!!
Se procurarmos na internet é muito fácil encontrarmos uma rotina pronta com horários fixos para tudo: comer, dormir e brincar. Já adianto que comigo não funcionou e acredito que não funciona para ninguém, cada mamãe com seu bebê vai criar uma rotina com seu jeitinho de seguir o dia.
Como psicóloga creio que cada ser humano é único e especial, formado por suas crenças, experiências e com comportamentos únicos, então porque tentar colocar um bebê, que está chegando no mundo agora, dentro de um padrão tão rígido de comportamentos????
Se nós mesmos não conseguimos nem seguir uma rotina de alimentação, como exigir de um bebê o mesmo???
O pediatra Carlos Gonzales (estou in love com ele, rs) diz que basta transportarmos as regras que impomos para bebês para o mundo adulto e veremos quão absurdas são.
Hoje, com o Ian prestes a fazer 1 aninho, posso dizer apenas 4 coisas para as futuras ou recém-mães:

1. Faça xixi sempre que quiser!
Eu digo a todas as mães: VÃO AO BANHEIRO!!!
Essa foi incluída por último porque eu nunca imaginei que fosse acontecer e vocês devem estar pensando que eu tive infecção urinária ou algo relacionado. Não, não tive nenhum problema de saúde por segurar o xixi simplesmente porque não dá tempo de ir ao banheiro.
Eu fiz xixi na cama!!!!
Quando eu percebi, não acreditei, não sabia se chorava de rir ou chorava de preguiça de levantar da cama.
Imaginem uma noite fria, a mais fria do ano, o Ian acordou a noite para mamar e eu estava com vontade de fazer xixi, mas pensei: “vou dar de mamar primeiro, depois vou ao banheiro, assim ele não chora e não acorda o Lucas.
O Ian dorme na minha cama então eu dou mama deitada mesmo, assim como a maioria dos dias eu acabei pegando no sono e sonhei que fui ao banheiro. Acordei toda molhada!!!!

Eu só não fiquei mais brava comigo mesma porque não molhei o Ian, imaginem ter que trocar a roupa do bebê as 2h da madruga num baita frio? Ia ser de morrer mesmo!!!

2.Tente sozinha, você consegue!!!
Na gravidez eu ouvia muito se eu ficaria na minha mãe ou na minha sogra quando o Ian nascesse, ou se uma delas iria para minha casa ficar comigo.
Eu sempre quis tentar cuidar do meu bebê sozinha, mas não sabia se daria certo ou se conseguiria. E eu consegui!!!!
Não me considero um super heroína, lógico que precisei de ajuda, para preparar um almoço, lavar nossas roupas ou pegar uma água, mas os cuidados do bebê eu fazia tudo sozinha, dei todos os banhos, troquei todas as fraldas.
Eu destaco a palavra ajuda, porque somos plenamente capazes de fazer tudo sozinha.
Precisamos também ter cuidado com a pessoa que vai nos ajudar, necessita ser uma pessoa que você tenha liberdade, que você fique a vontade para tirar um cochilo quando precisar, chorar na frente dela ou andar sem roupa. Esta ajuda também pode ficar apenas durante o dia para você, não necessariamente ela precisa dormir na sua casa.
Na minha visão a pessoa ideal é nosso marido, o Lucas conseguiu ficar 1 mês em casa e foi ele que me deu esse apoio.

3. Relaxe, vai dar tudo certo!
Para mim essa é a dica principal, de nada adianta nos desesperar. A nossa calma é transmitida para nossos bebês e isso ajuda muito, principalmente nos momentos em que eles estão dodóis.
Muitas vezes nos sentimos angustiadas pois temos vontade de controlar o mundo em torno deles, suas dores e tristezas, mas não podemos, então vamos relaxar. Como diz o Thiago, do blog Paizinho Vírgula, ABRAÇA O DESESPERO e vai!!!

4. Leia menos e olhe mais para seu filho
Eu acho que o melhor conselho é aprender a observar seu filho.
Como tudo na internet, não faltam coisas ruins, informações erratas e muita coisa louca. Sobre criação de filho e maternidade não é diferente. Sou da geração da internet e já disse que ela foi minha melhor amiga nos primeiros meses do Ian, mas temos que ter filtro.
Até tentei muitas técnicas aprendidas na internet, umas delas foi quando o Ian começou a lutar com o sono durante o dia. Ele começava a resmungar às 11h00 e parava de chorar as 19h00 e finalmente dormia, eu achava que era cólica, fome, dor (quase dei remédio diversas vezes), menos sono. Nunca imaginei que todo aquele choro podia ser sono e só descobri isso observando a rotina do meu bebê. Quando descobri, não resisti e corri para a internet e li que o único sono reparador era o do berço, com uma série de exigências de posição do bebê e controle da luminosidade, lógico que não deu certo, após cumprir todas as regras, no momento que eu colocava o Ian no berço ele acordava.
Eu juro que tentei de tudo que li na internet ou que me ensinaram, mas única que funcionou foi observar onde e como ele gostava de dormir. E lógico que ia contra tudo o que eu tinha visto, hoje ele dorme super bem no sofá da sala deitadinho de lado ou no meu colo enquanto eu jogo video-game!!!
As mamães devem confiar menos em tudo que leem e mais nas suas intuições. Elas sabem muito e às vezes não confiam neste saber materno.

Não desanimem, não dê ouvidos a qualquer um e curta muito seu filhote porque não tem preço os momentos que passamos junto com eles!!!!

You May Also Like

0 comentários